Adware ou publicidade invasiva: Como evitar

Adware ou publicidade invasiva: Como evitar

Algumas vezes enquanto estamos navegando na internet surgem algumas mensagens como “Você é nosso visitante número 500.000! Clique AQUI e veja seu prêmio.” ou “Você ganhou um novo celular, clique AQUI”. São anúncios chamativos, que, por terem sido originados por programas de computador, são conhecidos por Adware: Ad = advertising (publicidade em inglês) + ware = software.  E é exatamente por meio desse tipo de anúncio que o Adware é comumente apresentado, se clicar (coisa que não deveria), pode ser que essa inocente propaganda instale alguns softwares maliciosos e consequentemente, janelas pop-up começarão a aparecer na tela mostando anúncios indesejados e invasivos.

Embora o adware seja frequentemente dito como um tipo de malware, a realidade é que o adware é considerado um aplicativo potencialmente indesejado (PUA). Isso significa que, mesmo que possa levar a sites maliciosos, o risco de outra ação maliciosa é menor, ainda que exista.

adware pode se espalhar e infectar um dispositivo de várias maneiras, por exemplo, instalando extensões não confiáveis ​​ou desconhecidas no navegador, instalando software gratuito (Freewares ou Sharewares) de sites com reputação duvidosa, navegando em sites “não confiáveis” ou infectados com adware, alguns deles podem exibir conteúdo multimídia, como filmes online grátis, jogos de futebol online grátis, conteúdo adulto, mini jogos online, etc. Além disso, pode ser por meio de arquivos executáveis ​​que se passam por um determinado software, mas acabam instalando outros, ou clicando em anúncios suspeitos.

Muitas vezes, é o próprio usuário que aceita a instalação do adware, não prestando atenção durante o processo de instalação. Isso significa que o adware acessa o sistema “legalmente” porque o usuário aceitou a instalação, por exemplo:

Você baixa e instala um programa gratuito de tratamento de imagens, na maioria das vezes seu programa instalador está em inglês e pede para avançar (botão NEXT) em algumas etapas da instalação. Se prestar bem atenção, geralmente em letras pequenas está escrito se deseja instalar algum outro programa ou extensão e é aí que mora o perigo: você está autorizando a instalação de algo que mais atrapalha do que ajuda, talvez algum adware com um código malicioso embutido.

Abaixo, seguem algumas situações que podem indicar uma possível infecção por adware:

  • O navegador começa a funcionar mais devagar do que o normal ou pode fechar inesperadamente.
  • Os anúncios são exibidos em páginas da web onde não eram exibidos antes.
  • A página inicial ou página de pesquisa foi modificada sem a autorização do usuário.
  • Cada vez que uma página da web é visitada, o navegador é redirecionado para uma página diferente.
  • Novas barras de ferramentas, plug-ins ou extensões aparecem no navegador que não existiam antes.
  • Clicar em qualquer lugar em uma página da web abre uma ou mais janelas pop-up com anúncios indesejados.
  • Aplicativos indesejados são instalados no computador sem permissão.

Os softwares maliciosos não afetam somente computadores, percebemos que nos smartphones e tablets, anúncios chamativos também aparecem e as chances de infecção tocando neles na tela são muito grandes.

Para nos proteger dessas ameças existem essas dicas:

  • Mantenha o navegador da web atualizado.
  • Evite abrir anúncios com avisos falsos ou que contenham mensagens boas demais para serem verdadeiras.
  • A maioria dos navegadores possuem nas configurações o bloqueio de pop-up, mas existem também extensões confiáveis que bloqueiam anúncios durante a navegação na Internet.
  • Evite navegar em sites não confiáveis, especialmente aqueles que o navegador marca como inseguros.
  • Evite baixar programas de fontes não confiáveis.
  • Durante a instalação de um programa, leia atentamente os termos e condições de uso antes de aceitá-los.
  • Tenha uma solução de segurança para bloquear este tipo de conteúdo ao navegar na Internet.

Conclusão: Nem sempre um programa gratuito é tão barato assim, pois para ser viável economicamente, seu desenvolvedor pode ter firmado parceria com alguma empresa de marketing que de forma proposital ou não, pode trazer alguma propaganda com algum código malicioso embutido.

COOKIES
Outra situação que não foi abordada são os “cookies” que seu navegador salva. Esses “biscoitos” podem ser lidos pelo site que você está acessando e através de algoritimos podem mostrar anúncios de produtos com suas preferências ou afinidades. Por exemplo, você está fazendo pesquisa de preços de “tênis feminino”, acessa algumas lojas e sites sobre o produto, ok, coisas que todo mundo faz. O navegador salva os cookies onde nos próximos acessos a sites que possuem serviços como Google Adsense, você começará a ver anúncios de lojas de tênis femininos… Por causa do algoritmo que “leu” os cookies do seu navegador. Se considera esse tipo de abordagem invasiva, existem algumas formas de evitar:

  • Após navegar, apague o histórico e cookie
  • Ao fazer alguma pesquise, se habitue a fazer navegação anônima
  • Procure uma boa extensão de navegador “anti pop-up” e deixe habilitada a opção “não abrir pop-up”

Observação: Os anúncios do Google Ads são na maioria seguros, e passam por filtros internos antes de serem exibidos para você: se clicar estará ajudando o publisher que liberou espaços para a propaganda e todos ganham – Esses anúncios confiáveis (geralmente lojas que você já visitou) não fazem nenhum mal e pode ser até que tenha uma oferta exatamente do que vinha procurando.

🙂

Os comentários estão fechados.