Notebook: a importância da manutenção preventiva

Notebook: a importância da manutenção preventiva

O notebook é um computador com características voltadas diretamente à mobilidade, e como tal, precisa ser leve, ter boa performance e ser resistente. Cada vez que é projetado um novo modelo, fica mais difícil para os fabricantes conseguirem um equilíbrio entre materiais, peças e componentes para chegar a um preço final viável principalmente para o seu consumidor. Por isso vimos muitos modelos de determinados fabricantes exatamente iguais externamente, porém diferentes internamente e na sua maioria, em itens relacionados ao hardware e respectiva performance.

Para conseguir uma redução considerável de peso, na média entre 1kg e 1,5kg e elevada resistência existem os notebook “premium” ou “ultrabook”, construídos em gabinete ou shell de fibra de carbono, ou ligas de titânio ou magnésio. Os notebook “for consumers”, estes que usamos vendidos em lojas de departamentos, eletrônicos ou e-commerces de marcas conhecidas com peso de 2,5kg em média, utilizam liga de alumínio e na maioria das máquinas mais atuais, o plástico ABS: são materiais inferiores em preço e resistência, e todos os componentes de hardware são montados diretamente  nessa shell.

Tendo esse conhecimento introdutório, podemos mostrar alguns pontos fracos do notebook que exigem uma atenção especial e começaremos a entender que uma manutenção programada manterá essa ferramenta de trabalho por muito mais tempo em boa condições de uso por custos que compensam bastante:

Estrutura: Por utilizar atualmente na montagem materiais de menor resistência mecânica que antigamente, a case shell (vulgarmente chamada de carcaça) é fabricada em plástico ABS injetado e requer mais atenção, tanto na sua limpeza, (que deve ser sempre feita com uma flanela macia e nenhum produto a base de petróleo) como no manuseio diário do notebook – Alguns modelos existem riscos de quebrar a shell até mesmo ao levantar o notebook segurando por um de seus cantos ou na falta de cuidados em seu transporte, por isso a importância da mochila ser almofadada com espuma internamente.

Bateria: Quando perde suas qualidades de reação química, não consegue mais receber carga e obviamente perde a capacidade de fornecer energia ao equipamento.

Equipada nos ultrabook e notebook mais atuais, a bateria geralmente possui internamente células tipo “flat”, quando ficam próximas ao calor incham, o que pode danificar a shell ou algum outro componente. Baterias externas, cada vez mais em desuso, geralmente usam células tipo cilíndrica, que têm o risco menor de inchar.

Dobradiça – É uma articulação de metal com uma certa resistência mecânica suficiente para fechar e manter a tela aberta em diferentes posições. Por ser montada e parafusada diretamente na shell, geralmente as partes mais fracas na sua fixação tendem a se quebrar. Uma dica é verificar ao movimentar a tampa se outras partes sofrem alguma torção ou se desprendem: esse é o início de um problema que quanto antes for feita uma verificação técnica, maiores as chances de correção e menor os custos. Você sabia que dependendo do “estrago”, se for danificada a tela ou placa mãe por exemplo, o custo para reparo muitas vezes se torna inviável?

Uma revisão pode reduzir o risco de quebra, diminuindo a pressão e lubrificando as dobradiças. Caso já seja observado um processo de ruptura ou até como prevenção, um reforço com resina (se o material for ABS) fará muito bem. Lembrando que quando a peça quebra, nesse caso não tem mais jeito e se faz necessária a melhor prática que é a substitução da shell.

Temperatura: Devido ao espaço interno ser muitíssimo reduzido, é necessário um sistema de resfriamento baseado na saída forçada do ar quente gerado pelos processadores. Esse sistema é composto por um ou mais cooler, (chamado também de ventoinha ou ventilador) por dissipadores de calor e para aumentar a área de contato entre essa peça e os componentes que geram calor, como por exemplo a CPU, é aplicada uma pasta condutora de calor, conhecida por “pasta térmica”.

Na foto, da esquerda para a direita: A pasta sobre o processador ressecada, em seguida o processador já com a pasta removida e finalmente a nova pasta térmica aplicada.

Sinais de que algo está errado (e isso vale também para os desktop e os all in one) – Você percebe que a máquina está ficando lenta, trava, aparece a “tela azul da morte do Windows” ou simplesmente se desliga: O que de primeiro momento podemos suspeitar ser vírus, malware ou disco cheio, pode ser uma ação interna de proteção chamada Thermal Throttling: dentro do processador existe um circuito de segurança que vai cortando a energia dos núcleos, reduzindo assim, a velocidade de processamento e consequente geração de calor para evitar danos permanentes. Isso ocorre porque com o passar do tempo, a pasta começa a perder suas propriedades de transferência térmica e com o calor cada vez maior, ela resseca e endurece.
Após 5 anos de uso, ou quando se percebe a máquina quente e a alta velocidade do cooler constante, sugerimos que seja realizada uma limpeza da sujeira acumulada no sistema de resfriamento e substituição da pasta térmica. Para certificar que a máquina irá trabalhar mais “fresca”, usamos apenas compostos térmicos com condutividade superior a 8w/mk (oito watts por metro/Kelvin) excelente para aplicação em notebook gamer ou máquinas usadas na mineração de bitcoin, devido ao seus overclocking de CPU que exigem maior poder de processamento – Isso garante a redução de temperatura aos padrões normais e mais 5 anos de sobrevida, dependendo do uso, claro, pois como sabemos, poeira acumulada e obstrução das entradas e saídas do ar são os grandes vilões.

Tela: Não precisamos detalhar o quanto é sensível a impactos e pressão externa. Já vimos uma situação de na pressa ser colocado o notebook na mochila e sua respectiva fonte junto a tampa, pressionando e danificando o cristal, por isso, todo cuidado é pouco.

Bônus: Ultrabook, notebook, netbook, laptop, enfim, como diferenciar?
Normalmente chamamos aqui no Brasil notebook, diferente dos EUA, apesar de ser a mesma máquina, lá é chamado de laptop o portátil “de colo” desde o tempo do T-1000 da Toshiba lançado em 1987. Ultrabook é um notebook mais fino, leve, bem acabado e construído, tem boa capacidade de bateria e excelente performance, diferente do netbook, que é menor, a tela não passa de 12 polegadas e tem processador mais lento e de baixa potência para fornecer tempo razoável de utilização sem ligar à tomada. Toughbook é um notebook “durão” feito para ser utilizado em condições extremas, sejam elas no meio de um deserto, numa tempestade ou em uma zona de guerra. Existem modelos que suportam o peso de um caminhão e até resistência de penetração IP68.

Bom acho que é isso por ora… Achou o post interessante? Tem alguma dúvida, gostaria de acrescentar algo, dar sua opinião, ou quem sabe solicitar um orçamento? Fique a vontade!

Os comentários estão fechados.